terça-feira, maio 09, 2006

Uma OPA hostil na política partidária

No congresso do CDS este fim-de-semana o jovem promissor João Almeida lançou um repto que configura um autêntico anúncio de uma OPA hostil sobre o PSD. Não admiraria que Marques Mendes viesse dizer que, para quem chegou agora ao mundo dos políticos crescidos, está muito atrevido o jovem João Almeida.

2 comentários:

Vítor Sousa disse...

WR, discordo destes cautérios subliminares. Um jovem, antes de ser jovem, é um Homem. Reconheçamo-los como tal. A enfatização da juventude pode simbolizar a tentativa arguta de retirar credibilidade ao que de um jovem provém. Como sociólogo e observador social, saberá que a complacência vigente que privilegia a juventude acarreta a desvantagem de submetê-la aos arrabaldes, vedado que está o acesso ao "mundo dos adultos". No plano etário, sou um "jovem", mas esta condição não me define nem me manieta.
Um abraço insular

WR disse...

Caro Vítor,

Não estava em questão a classe etária do dito rapaz mas apenas uma alfinetada nas guerras internas à direita parlamentar, glosando a guerra dentro da Banca, a propósito de OPAS e contra-OPAS entre o BPI e BCP. Apenas isso.
Concordo que não será o facto do jovem em causa ser jovem que fará dele aquilo que é, muito embora a variável idade também explique alguma coisa...

Abraço,
WR