quinta-feira, junho 26, 2008

Cohen & Rollins

Portugal, Turquia versus Alemanha

De um lado, o talento, a alma, a vontade de vencer. Do outro lado, a eficácia da acção planeada ao minuto. É pena, não é espectáculo, mas é a vida.

segunda-feira, junho 23, 2008

O espírito santo está em todo o lado

Leio no Jumento (versão inteligente do conhecido animal) que terá lido no DN (e eu confirmo) que um hospital do grupo Espírito Santo, que tem um acordo com a ADSE que proibe a discriminação dos funcionários públicos (o tal acordo que a alegre actual ministra da tutela acha mal que exista), estará a discriminar os ditos funcionários públicos nas suas listas de espera.

E eu que pensava que essa aberração das listas de espera eram privilégios da máquina ineficaz e ineficiente do Estado, no caso, do SNS...

O Espírito Santo não pára de me surpreender. Além do mais, pela sua inegável omnipresença. Depois de Chaparros, (ou Sobreiros?), Angola, pastas pretas do CDS-PP, e outros negócios, também já está nas listas de espera do sistema nacional de saúde. É impressionante...

Acho que já escrevi isto aqui...

Fidel Castro já morreu, só que ainda não lhe deram a notícia. É o problema do isolamento.

Quando eu tinha 60 anos e era um miúdo

Li no Terras do Nunca (versão intimista), que terá lido no Independent (e eu confirmo), que Leonard Cohen disse qualquer coisa como isto:

"Há 14 ou 15 anos, quando eu tinha 60 anos, era um miúdo com um sonho louco. Depois tomei imenso Prozac"

O único problema com os ismos é o passadismo

Hoje no Câmara Clara, uma conversa actual, e inteligente, sobre a questão do feminismo, entre Rui Zink e Irene Pimentel. Enquanto isso, Maria Teresa Horta, uma feminista nada actual, desconhece que o Inimigo Público não é um jornal.

O congresso laranja

Galvanizador e repleto de novas ideias.

terça-feira, junho 17, 2008

segunda-feira, junho 16, 2008

Say Yes to Lisbon


O que mais entristece, nos resultados do referendo ao Tratado da União, é ter vencido o "Say No to Lisbon".

Pensamentos ultra-secretos (2)

O modo vitorioso como o BE e o PCP, pela voz de dois dos seus eurodeputados, reagiram à vitória do Não ao referendo na Irlanda, fez-me pensar: "O que fazem estes partidos num parlamento de uma instituição de cujos objectivos essenciais, e não só de um tratado, ou deste em particular, eles discordam em absoluto?"

Pensamentos ultra-secretos

Ultimamente, dou comigo a pensar: " E se a era do petróleo, isto é, a sua produção industrial, não se tivesse iniciado, como se iniciou, algures em meados do século XIX? Será que o mundo tinha acabado por volta de 1984?"

Cada vez mais Harare

Nos países com democracias modernas existem entidades reguladoras para proteger os direitos dos consumidores e para que o mercado funcione, de forma justa. Em Portugal, as entidades reguladoras parecem existir para proteger as grandes empresas, o Estado que nelas detém uma parte de ouro e os que não pagam as suas contas, sejam empresas da treta com automóvel topo de gama incluido no vencimento, ou consumidores particulares que foram ao crédito por telefone.

Leia-se esta proposta da ERSE!

sábado, junho 14, 2008

Interrupção da emissão normal deste blog

As histórias de fruta e chocolate que envolvem o Fê-Cê-Pê soam a javardice siciliana, mas a postura oportunista do Ésse-Éle-Bê (meu clube), tresanda a lixo napolitano.

Paradoxos das democracias

Três milhões decidiram sobre as vidas de quatrocentos milhões.

sexta-feira, junho 13, 2008

Gaba-te cesto que a vindima ainda nem começou

O Primeiro-ministro regozijou-se hoje com o facto do governo ter resolvido o problema dos protestos face à crise dos preços do combustível em três dias. Eu, no lugar do PM, não estaria tão convencido de ter resolvido o problema. Na verdade, acho que ele ainda nem começou.

Mário Lino e o Custo Zero

A última voz pública que se ouviu dizer que uma iniciativa teria custo zero foi a de Cardoso e Cunha em relação à Expo98. Ora cá está, a Expo98 foi um grande e importante evento em si mesma e pelo que deixou para a cidade e para o país, mas não havia necessidade de dizer que um investimento daqueles seria a custo zero. O problema do custo depende dos proveitos. Se esses superam os custos, para que serve o engodo do "custo zero"? Já o silenciamento dos protestos contra os custos do combustível, não me parece que possa ser considerado investimento, mas um custo que vai custar caro ao país e, como é hábito, ao contribuinte pagante.

quinta-feira, junho 12, 2008

Raça

"É o som, é a cor, é o suor
É a dose mais forte e lenta
De uma gente que ri quando deve chorar
E não vive, apenas aguenta
Mas é preciso ter força
É preciso ter raça"


Milton Nascimento

sexta-feira, junho 06, 2008

If it be your will

Allegro ma non troppo, un poco maestoso

Gosto muito de poesia mas, no governo, mal por mal, prefiro ver políticos.

quarta-feira, junho 04, 2008

Mirem-se no exemplo

Nos EUA quer-se adoptar um acesso universal aos serviços de saúde, tal não é a desgraça social do sistema americano de saúde: saúde apenas para quem a pode pagar. Em Portugal há quem queira acabar com a universalidade do SNS e adoptar o modelo americano. A ideia só pode ser uma aproximação, ainda maior, de Portugal aos índices americanos de desigualdade social.

Os EUA são um país ímpar

Só naquele país seria possível, depois do 11 de Setembro, um candidato presidencial responder pelo nome de Barack Hussein Obama.

Vento



Cervejaria Trindade, Lisboa.
Foto pilhada daqui.


Ou, como diria um barbeiro vizinho: Já fui feliz aqui! Num tempo de vento, muito vento. Santíssima, foi há cerca de trinta anos. Como o tempo não mudou, apesar dos ventos que passaram.

domingo, junho 01, 2008

1 de Junho de 1960

Caixa alta

Pedro Santana Lopes não ganhou as directas no PSD.